O espaço idealizado pelos artistas Glênio Lima e Fernanda Pacca é a primeira galeria de arte contemporânea de Pirenópolis. Para marcar a data, eles recebem convidados para um bate-papo sobre a mostra “Objeto Ser”

Para celebrar os dois anos de inauguração da Matutina Onze, a primeira galeria de arte contemporânea de Pirenópolis, os idealizadores do espaço, os os artistas plásticos Glênio Lima e Fernanda Pacca, promove nesta quinta-feira (08/08), a partir das 19h, uma bate-papo sobre a mostra “Objeto Ser”, que reúne vários da dupla.

Há dois anos os dois artistas decidiram fincar suas raízes em Pirenópolis e deixar a correria e a agitação de Brasília, onde viviam, para abrir o espaço de arte localizado no Centro de Pirenópolis. O local, além de funcionar como ateliê dos artistas, também serve como espaço para venda e exposições das obras de arte.

A história da Matutina Onze começou quando Fernanda e Glênio foram à Pirenópolis para visitar a amiga e também artista plástica Vera Michels. Na volta para Brasília, Fernanda manifestou o desejo de seguir a carreira na cidade bucólica. “O artista, geralmente, busca grandes centros de artes e acabamos fazendo o caminho inverso, abrindo o primeiro espaço de arte contemporânea de Pirenópolis”, afirma a artista plástica.

O desafio do pioneirismo em criar uma galeria de arte na cidade parecia algo improvável no início, mas o desejo de mudar de ares foi ainda mais forte. “O artista usa muito a intuição e resolvemos apostar. Ainda tem a questão da qualidade de vida que Pirenópolis proporciona”, destaca Fernanda, que decidiu deixar de lado a rotina de dentista para se mergulhar na arte. “Não gosto muito de lembrar porque foi algo que tinha escolhido por conta da família. Hoje estou feliz, fazendo aquilo que realmente gosto, vivendo exclusivamente da minha arte e com lugar para expor meus trabalhos”, completa.

Já Glênio, nascido na pequena Babaçulândia, no interior do Tocantins, já demonstrava desde a infância sua afinidade pela arte. “Quando era criança, já demonstrava essa vocação e, em Brasília, tive oportunidade de aperfeiçoar mais essas habilidades”, disse o artista que já participou de exposições nacionais e internacionais, como a Bienal de Havana, em 2015. Sobre o desafio de mudar para Pirenópolis, o artista plástico não pensou duas vezes em sair da posição de estabilidade que ocupava.

Laços com Pirenópolis

A dupla destaca que a ligação com Pirenópolis resultou em benefícios para ambas as partes. “Não tivemos rejeição da cidade. Pelo contrário, trouxemos uma nova forma de arte e acabamos aprendendo muito com os moradores. Acredito porque respeitamos a cultura daqui”, ressalta Fernanda.

Para estreitar ainda mais esses laços, os artistas realizarão na próxima quinta-feira (8), às 19h11, o encontro Papo Onze: olhares sobre a mostra Objeto Ser. O evento, que será realizado na Galeria Matutina Onze, na Rua Matutina, é gratuito e aberto aos visitantes e moradores de Pirenópolis. “O objetivo do evento é estreitar a relação entre artistas e pessoas que se interessam pela arte em um mesmo lugar para um bate-papo, para compartilhar vivências e histórias”, explica Glênio.

Serviço

Papo Onze: olhares sobre a mostra Objeto Ser
Data: 8 de agosto de 2019
Horário: às 19h11
Local: R. Matutina, 11 – Centro, Pirenópolis – GO

 

Movido pelo respeito ao meio ambiente e integração a natureza e arquitetura da cidade, o Quinta Santa Bárbara é o PRIMEIRO ECO RESORT de Pirenópolis.

E VOCÊ PODE SER UM DOS EXCLUSIVOS PROPRIETÁRIOS!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *