Cateretê?! Calma! Continue lendo que a gente explica. Seguindo o que diz o folclore brasileiro, cateretê nada mais é que a famosa catira (ou o catira). É aquela dança que o ritmo musical é marcado pelas batidas dos pés e das palmas das mãos. Ligado nesse movimento, que em Pirenópolis surgiu com a Folia de Reis — festa tradicional da cidade —, o empresário gráfico Arley Vieira, que divide sua moradia entre Pirenópolis e Goiânia, decidiu realizar o Primeiro Festival de Catira de Pirenópolis em 17 e 18 de janeiro, na Barraca da Família, atrás da Igreja Matriz, onde acontece a feirinha da cidade.

Essa dança da cultura sertaneja está enraizada em algumas regiões do Brasil como: Goiás; Mato Grosso; Norte do Paraná; Minas Gerais; Espírito Santo; Mato Grosso do Sul; Tocantins; e São Paulo. Normalmente a catira é exibida com dois violeiros e, às vezes, com sanfona e tamborim. Além dos músicos, os grupos apresentam-se com 6 a 10 dançarinos — sendo que a maioria se apresenta calçados de botas e, em algumas regiões, com metais nas extremidades para ajudar no som dos sapateios.

“Sempre festejei o aniversário do meu filho Victor com apresentações de grupos de catira e esses grupos vinham sempre reclamando porque não havia valorização cultural sobre o trabalho deles. Com isso, pesquisando os artistas em várias regiões, decidi realizar um festival’, justifica Arley. O empresário tem a seguinte frase que sempre pronuncia para contextualizar sua atitude em prol da catira: “Acredito que para a preservação da nossa cultura, sendo raiz ou não, ela deve em primeira instância ser vivida”. Segundo o novo promotor de catira da cidade, 11 grupos já estão inscritos para o evento e ele espera ainda chegar a 15 equipes, número máximo de grupos participantes que o festival pode ter.

Veja os grupos que já se inscreveram até o fechamento dessa matéria:
Fazenda Babilônia I e II; da Capada; Bom Jesus; Bandeirantes; Palma de Ouro; Divino Espírito Santo; Cruzeirinho (masculino e feminino; Planalmira; Filhos de Pirenópolis; e de Goianésia.

Serviço:
Dia: 17 e 18 de Janeiro
Horário: Sexta, às 19h, e sábado, às 18h, com a procissão de São Sebastião
Local: Barraca da Família, atrás da Igreja Matriz
Contato: 62 98140-5290 (Arley Vieira)

Um Comentário

  1. Álvaro Catelan

    Respeitável e elogiavel essa iniciativa, Festival de Catira. Goiás continua esperando por um novo Festival de Catira como o Catirana, que durante anos sobreviveu em Anápolis anos anteriores. Lá tive a oportunidade de atuar como jurado ao lado de Bariani e Marreco, e assistir aos mais belos e originais espetáculo de Catira do Brasil.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *