Até a publicação desta matéria, Piri se manteve sem casos de Covid-19. Sete investigados foram descartados e apenas um está sob análise. Enquanto as famílias se mantêm em isolamento social, as comunicações acontecem com mais frequência via redes sociais. Dessa forma, uma amiga que hoje reside na Alemanha, onde a pandemia chega há quase 100 mil casos positivos e produz graves consequências à população e à economia, me enviou carinhosamente uma receita caseira para ajudar a aumentar a imunidade.

Preocupada com o que está por vir ao Brasil nesse momento de atenção sanitária, ela deu a dica: um limão fatiado com casca; pedaços de gengibre; uma colher de chá de açafrão e um copo d’água de 250 ml. Esse chá, segundo ela, deve ser bebido em jejum todos os dias pela manhã. Pelo carinho e pelo amor demonstrado nesse momento em que todos estão tensos diante da ameaça dessa pandemia, não questionei. Venho tomando o chazinho. Nas redes sociais e nos grupos de WhatsApp, principalmente, são algumas das mensagens que circulam de forma afetiva nesse momento de distanciamento.

Curiosamente, moradores de cada estado têm uma dica caseira com frutos e produtos regionais. Alguns sugerem suco de laranja com hibisco, arroz colorido (por conter pimentão), que dizem ser rico em vitamina C, barrinha de castanhas e banana sem açúcar, requeijão com talos de couve, entre outros. Uns são ricos em vitamina C, outros em acido fólico que ajuda na formação de glóbulos brancos ou contém zinco e vitamina E, que também reforçam a imunidade.

No Centro-Oeste, os goianos sugerem que o óleo de pequi seja a opção caseira para aumentar a proteção contra essa nova ameaça da Covid-19. O fruto é típico do cerrado, do tamanho de um caqui com uma casca verde e macia (quando maduro), com um caroço envolvido em uma popa comestível amarela. Pesquisas indicam que o pequi é rico em vitamina E, poderoso anti-inflamatório e fonte de vitamina A, que auxilia o sistema imunológico. Mas o pequi não é facilmente encontrado nessa época do ano. Os goianos são mais prevenidos e estocam a popa para consumir na baixa da safra. Em Pirenópolis, o pequi e seus derivados, como o óleo, estão disponíveis em várias lojas, supermercados e restaurantes. Essa é uma iguaria que não pode faltar à mesa do pirenopolino e dos turistas.

Sabemos que essas receitas são passadas com muito amor e carinho, mas, pelo certo ou pelo errado, sugerimos atenção às recomendações oficiais. Até porque, não se tem comprovada a eficácia desses produtos que, geralmente, são naturais. O melhor mesmo é dar mais atenção ao que dizem as autoridades do Ministério da Saúde e os governos estaduais:  isolamento social e higiene, principalmente, com as mãos.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *