Quem não usar máscara e sair às ruas de Pirenópolis pode ter que pagar até 10 salários mínimos de multa. Essa é a pena para qualquer pessoa que descumprir o decreto municipal. A nova lei, assinada em 4 de abril, impõe o uso de máscaras para quem for circular pela cidade e determina, ainda, que os entregadores e demais visitantes informem hora de ir embora. O objetivo é proteger a comunidade do Covid-19, que não fez vítimas em Pirenópolis.

Turistas continuam proibidos de entrar na cidade. Como medida de segurança, os moradores que deixam Piri e retornam são obrigados a entrar em quarentena. Todos preenchem formulários de controle e passam a ser monitorados. O novo decreto só permite a entrada na cidade para moradores fixos. Os que possuem casas para finais de semana, fazendas ou chácaras para lazer são identificados, conscientizados e também são proibidos de entrar, a não ser que comprovem a urgência. As medidas são para evitar que o vírus chegue à comunidade e que se espalhe.

Nas entradas da cidade foram montados postos de fiscalização onde quem entra tem que apresentar comprovantes de endereço, de residência, documentos pessoais e até título de eleitor de votação na região. Até a certidão do imóvel pode ser solicitada para comprovação de residência fixa.

E, para reforçar ainda mais a segurança, qualquer morador que entrar na cidade será obrigado a assinar um termo de responsabilidade e, se descumprir as determinações, também incorrerá na multa de 10 salários mínimos. A mesma multa vale para infratores que tentarem burlar a lei com a venda de comprovantes de residência.

A Prefeitura decidiu manter o comércio fechado e as ruas da cidade continuam vazias. As medidas extremas são justificadas pelos representantes da prefeitura e necessárias para a urgência do momento.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *