Considerada uma revelação no cenário gastronômico da cidade, a chef Josi Lôbo faz sucesso com seus pratos autorais. À frente da cozinha do Divino Lounge Café, ela celebra volta a sua terra natal.

Apesar de ter crescido na cidade grande, a chef Josi Lôbo sempre manteve uma estreita relação de carinho com Pirenópolis, de onde partiu para Goiânia com apenas um mês de vida. As visitas à cidade histórica em Goiás eram frequentes, afinal era onde viviam suas duas avós e onde estavam os amigos de infância. Essa memória afetiva foi o grande motivo para que ela mantivesse o sonho de um dia voltar a suas origens, no município que fica a 130 quilômetros de Goiânia.

Bom, esse sonho de Josi virou realidade há pouco mais de um ano, quando a chef de cozinha completou 36 anos de vida e mudou-se de vez para Pirenópolis e onde atualmente comanda a cozinha do Divino Lounge Café, famoso ponto de encontro de turistas e moradores da charmosa cidade histórica. Nessa mesma época, ela e o marido, o corretor de imóveis Daniel Sales, decidiram fugir da vida agitada na capital.

Mas antes de se dedicar totalmente à cozinha, a chef tentou outros caminhos profissionais. Em 1998, Josi ingressou no curso de Turismo do antigo Centro Federal de Educação Tecnológica de Goiás (Cefet), atual Instituto Federal Goiano (IFG). Dois anos depois, durante um estágio num grande hotel de Goiânia, a jovem candidata a turismóloga descobriu a sua paixão pela gastronomia. Ela conta que adorava frequentar a cozinha do hotel e foi por meio dessa convivência que o interesse pela mistura de aromas e sabores surgiu. “A cozinha era o meu ambiente preferido. Passava horas vendo as cozinheiras prepararem os mais diversos pratos e para aprender experimentava o que elas faziam, tentando adivinhar os ingredientes dos pratos”, diz Josi.

Mas apesar de ter descoberto o gosto e o talento pela culinária , não foi desta vez que Josi decidiu se dedicar de vez à cozinha. Com apenas 20 anos de idade, ela abriu um escritório e atuou como cerimonialista, aproveitando os diversos contatos que fez durante o seu estágio no hotel em Goiânia. Já em 2007, também na capital, conheceu Daniel Sales, seu marido.

Em seu trabalho com cerimonial, Josi acumulou três prêmios Megha Profissionais, sendo um como revelação e dois como melhor cerimonial. A premiação é promovida pela Rede Megha de Comunicação e busca reconhecer marcas, empresas e profissionais liberais mais lembrados pelo público consumidor.

Após o casamento em 2009, Josi e o marido começaram a mudar frequentemente de cidade por causa do trabalho. De Goiânia, foram para Rio Verde; depois para fora do Estado, em Cuiabá (MT); e de lá, vieram de volta para Goiânia e depois para Rio Verde, onde a então futura chef começaria colocar em prática os seus dotes culinários. Mas as constantes mudanças de cidade começaram a preocupar o casal. “Essa correria intensa das grandes cidades já estava nos esgotando e, por mais que Rio Verde fosse menor que Goiânia, ela já estava grande demais para nós. Era hora de ir buscar tranquilidade”, conta.

Aventura na gastronomia

Josi então decidiu interromper a trajetória de 15 anos de cerimonial para se dedicar exclusivamente à cozinha. “Meu último trabalho como cerimonialista foi há exatamente um ano e meio, quando fiz um casamento na Cidade de Goiás. Desde então, minha vida tem sido apenas dentro da cozinha”, revela. Na cidade histórica, Josi começou a se aventurar na gastronomia como consultora do restaurante Empório do Cerrado, onde orientou funcionários e gestores na organização da cozinha e treinamentos para garçons. Após seis meses, assumiu a cozinha do espaço, onde ficou por 11 meses. Em 2018, surgiu a oportunidade de montar uma cozinha na cervejaria Stone House, onde ficou dois meses.

Trabalhando na cozinha, Josi recebeu a reportagem da TV Anhanguera por três ocasiões: uma quando ainda morava em Rio Verde, quando serviu um bobó de frango na abóbora cabotiá, e outras duas vezes em Pirenópolis, quando recebeu a reportagem com risoto de banana da terra com salmão na calda de melaço de cana e carne na lata. Todos esses pratos eram criações exclusivas de Josi e que faziam sucesso em restaurantes e bares de Pirenópolis. Questionada sobre os motivos do sucesso de seus pratos, Josi revela o seu ingrediente especial para a receita. “Quando se gosta da profissão tudo fica melhor e mais divertido porque eu entrego mais que comida. Eu entrego amor”, concluiu.

Movido pelo respeito ao meio ambiente e integração a natureza e arquitetura da cidade, o Quinta Santa Bárbara é o PRIMEIRO ECO RESORT de Pirenópolis.

E VOCÊ PODE SER UM DOS EXCLUSIVOS PROPRIETÁRIOS!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *