Na nova série Trilhando Seu Caminho vamos mostrar o que há de melhor para se fazer em Pirenópolis. A intenção é servir de inspiração, bem como fonte de informação, por isso, daremos opções de lazer, cachoeiras, trilhas, restaurantes, e até algumas curiosidades superinteressantes.

Temos também, descrições das dezenas de trilhas que costuram a região de Pirenópolis, onde vamos explicar como chegar até as cachoeiras e os cuidados que devem ser tomados no acesso à esses lugares, entre muitas outras informações e curiosidades. Topa fazer uma verdadeira imersão à natureza, descobrindo tudo sobre lugares maravilhosos que encantam qualquer um? Vem com a gente.

Primeiro, temos a Cachoeira do Abade. Uma das cachoeiras mais tradicionais e mais visitadas da região. A história desse local paradisíaco tem registros do século XVIII; dizem que essas terras eram exploradas por um coronel poderoso e arrogante que extraia o ouro à custa de poluir o Rio das Almas. Esse coronel acabou por enfrentar a ira da população, que destruiu todo a maquinário de garimpo e o expulsou dali.

Ao longo do tempo, um antropólogo e ambientalista comprou a fazenda com o objetivo de garantir sua preservação e criar sua família em contato com a natureza. Hoje seus filhos cuidam da área, e, portanto, dão oportunidade para que mais pessoas conheçam e desfrutem da natureza em que eles cresceram.

Na região existem duas trilhas; a primeira tem 400 metros e é toda calçada com pedras de Pirenópolis, que leva a principal cachoeira da reserva – a Cachoeira do Abade. Esse caminho também dá acesso ao Cânion, que tem várias cachoeiras, algumas até banháveis. Porém, apesar de ser calçada, a trilha tem um declive acentuado, que para alguns idosos pode ser um obstáculo.

A segunda trilha é chamada de Trilha do Vale; uma trilha aberta de 2,5 km com partes calçadas e partes sobre pedras. Essa trilha dá acesso há quatro cachoeiras e o visitante passa por vários mirantes com lindas paisagens. O destaque fica para uma das pontes que leva o nome de Ponte da Tremedeira – ela tem 50 metros de extensão e 25 metros de altura.

Atravessá-la provoca uma adrenalina gostosa por conta da altura e da sua aparente instabilidade. Os proprietários garantem que é totalmente segura e foi reformada recentemente. A paisagem recompensa o frio na barriga. De cima tem-se a vista do Vale e do Rio das Almas.

Você sabia que a Cachoeira do Abade foi um dos primeiros atrativos turísticos da cidade a se organizar para atender os turistas, e que atualmente recebe visitantes do Brasil e do mundo? É impressionante, não é?

Vale à pena conhecer.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *