Esta festa surgiu em função da Romaria em Louvor à Santíssima Trindade, que acontece desde primórdios do século XX (+- 1927), quando devotos carregam uma imagem da Santíssima Trindade em um andor da cidade até o Pico dos Pireneus, cerca de 20 km, sempre no dia da lua cheia do mês de julho. Neste momento, muitos acampavam aos pés do pico para esperarem a procissão e contemplar a beleza da lua na serra, com a família e tudo mais.

Hoje, a festa ainda conta com a parte religiosa (a romaria e missa) e com o acampamento. Este último, um pouco descaracterizado das origens, se tornou um acampamento de jovens, às vezes até mesmo sem nenhuma relação com a parte religiosa. Estes jovens vão à festa para acampar e buscam diversão em contato com a natureza. É, por enquanto, o único momento em que é permitido acampamentos dentro do Parque (o Pico dos Pireneus está inserido dentro do Parque Estadual dos Pireneus), e dura cerca de uma semana. É gratuito e aberto a todos, porém o controle e monitoramento das atividades é precário, como a proibição de fogueiras, som automotivo, emissão de poluentes etc.

Fonte: www.pirenopolis.tur.br

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *