Projeto “Vivendo e Revivendo Pirenópolis” apresenta aos mais jovens e relembra aos mais antigos as boas recordações de tempos passados. Iniciativa, que tem nova edição na próxima terça-feira (19/02), também busca valorizar músicos locais

A tradição de percorrer as ruas cantando melodias românticas, suaves, envolventes e que falam de amor, paixão e saudade volta a encantar os moradores e visitantes de Pirenópolis. Estamos falando das serestas, que são a atração principal do projeto “Vivendo e Revivendo Pirenópolis”, que tem o objetivo de apresentar aos mais jovens e relembrar aos mais nostálgicos as boas recordações de tempos passados.

O projeto é contemplado pelo Fundo de Arte e Cultura municipal (FAC) e já vem sendo desenvolvido desde novembro de 2018. Uma nova edição já está confirmada para próxima terça-feira (19/02), a partir das 22h30, com saída da Rua Direita, no Centro Histórico. Músicos locais percorrem as vias históricas de Pirenópolis e param em frente às janelas e portas de algumas casas, como uma forma de homenagear os moradores mais antigos da cidade. Entre os estilos musicais apresentados estão o choro, o samba de raiz e os românticos boleros.

De acordo com a presidente da Comissão de Folclore de Pirenópolis, Séfora Pina, além do resgate de uma tradição popular, as serestas também buscam a valorização dos compositores e músicos locais. A prática teve seu ponto alto, na cidade, no final do século 19 e início do século 20. Assim como se dava em várias outras cidades do Brasil, no interior em especial, as serestas ocorriam quando grupos de músicos, saindo das festas, detinham-se às janelas das casas, para tocar e cantar madrugada à dentro, constituindo um costume boêmio herdado por nós brasileiros dos portugueses. “Eu acompanho desde cedo. Hoje, tenho 53 anos, mas já acompanhava meus pais e avós tocando em muitas serestas. Toda essa iniciativa mostra aos mais jovens a importância de manter a tradição viva”, diz Séfora.

Participação aberta

O grupo do projeto Vivendo e Revivendo, responsável pela seresta da próxima terça-feira, conta com quatro músicos, mas Marco Junio, de apenas 17 anos, garante que o evento é aberto para a participação de todos. “Não há qualquer tipo de distinção. Todos podem participar e cantar. Temos vários grupos de serestas na cidade, mas o principal objetivo é garantir a integração dos músicos locais com a comunidade e os turistas”, afirma.

De acordo com Marco Junio Godinho, a data para a realização das serestas não é escolhida de maneira aleatória. Em geral, as apresentações ocorrem durante o primeiro dia de lua cheia. “Aproveitamos a presença de uma convidada especial, a Lua Cheia, que deixa a apresentação ainda mais bonita”, diz o jovem, que apesar da boca idade, conhece e valoriza o tradição que foi muito celebrada na época de seus avós e bisavós.

Serviço

O que: Seresta do projeto Vivendo e Revivendo

Onde: Rua Direita, Pirenópolis, Centro, Pirenópolis

Quando: 19 de fevereiro

Horário: 20h30

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *