Dezembro e janeiro são os dois meses que mais chovem em Pirenópolis, de acordo com o Instituto de Meteorologia de Goiás, mas isso não foi motivo de preocupação para os moradores da Rua Santa Bárbara, onde não há rede de água pluvial e historicamente é área de alagamentos em época de chuvas. É que já foram concluídas as bocas de lobo e está em fase de testes o sistema de coleta pluvial do Quinta Santa Bárbara Eco Resort, que irá beneficiar justamente essa vizinhança.

“Nos momentos de chuvas mais intensas, a água escoou em 15 minutos, no máximo. Antes, o volume gerava alagamentos acima de um metro na Rua Santa Bárbara, agora não passou de 30 centímetros”, disse o engenheiro Hullian Chaves. Ele explica que essa fase experimental está sendo importante para que sejam providenciados ajustes no sistema para torná-lo ainda mais eficaz.

A obra de infraestrutura do Quinta Santa Bárbara inclui a instalação de uma galeria de rede pluvial, constituída por quase 500 metros de comprimento, manilhas com 1,2 metro de diâmetro e bocas de lobo para receber o volume das águas das chuvas. A estrutura também inclui um sistema de bacias em gabião para comportar 1,3 milhão de litros d’água. Nos primeiros meses deste ano será executada a terraplenagem do terreno, e as obras de edificações terão início após o período de chuvas, previsto para maio.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *